A “bitola” da CP

13:58 – O comboio suburbano CP Lisboa, precedente de Sintra e com destino a Lisboa-Oriente irá dar entrada na linha número 2. Efetua paragens em todas as estações e apeadeiros excepto Chelas e Marvila.

Desde 1856 que a CP , Comboios de Portugal, encontrou o meio para operacionalizar a sua estratégia e alcançar os objetivos e metas a que se propõe. Eficácia, segurança e qualidade são os três pilares em que dizem assentar a sua atividade.

“Valorização das relações com as comunidades locais”, tem a CP escrito na sua missão. Que tipo de relação têm estas pessoas que estão na plataforma com a entidade que lhes fornece este serviço? Arrisco a dizer que se estatele uma relação primária de prestação e de usufruto de um serviço de transporte.

No entanto, dentro do comboio, a dinâmica é até fascinante. As comunidades locais, a que a CP se refere, coexistem e relacionam-se entre si. E a riqueza não se fica pela quantidade, mas também pela diversidade, pois no percurso Sintra-Benfica, do qual sou passageira assídua, o leque de faixas etárias, religiões e etnias é também bastante alargado.

É através deste meio (comboio), com um propósito e objetivo pré definidos (eficácia na mobilidade humana) e com com estes públicos que estabelecem relações entre si (passageiros) que é possível de criar um analogia entre e comboio as Relações Públicas.

Ainda assim, o comboio tem uma grande vantagem que as RP não têm. Os caminhos de ferro são estáveis e contínuos. Já para as RP, os caminhos escolhidos e planeados (estratégia) nunca apresentam tamanha estabilidade. Mas não se fica por aqui. O maquinista sabe exatamente quando e onde lhe vão surgir novas oportunidades, sabe exatamente quando vai parar em cada estação e sabe exatamente onde irá largar e ganhar passageiros.

13:28 – Próxima paragem, Benfica

Saí a meio da viagem do comboio, outra pessoa sentou-se no lugar onde estava sentada e  certamente que depois dela se sentaram milhares e milhares de pessoas. Às vezes questiono-me se não me estarei a sentar no mesmo lugar onde já me sentei noutras viagens, mas isto deve ser o meu intuito de probabilidade e imprevisibilidade de Relações Públicas.

 

 

 

 

 

 

 

Advertisements
Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s